A Polícia Civil prendeu um mulher, de 52 anos, após flagrar, em sua residência, uma cachorra com sinais de maus-tratos. A ação aconteceu na quinta-feira (1º), na rua Rafael Urtado, em Ipaussu. Foi a primeira pessoa a ser presa na região de Ourinhos em cumprimento à lei 1.095/2019, que aumenta as penas para quem maltratar cães e gatos, que foi sancionada na última terça-feira (29), pelo presidente Jair Bolsonaro.

Segundo informações da Secretaria de Segurança Pública (SSP) do Estado, o animal foi encontrado por equipes da delegacia dede da cidade em estado de abandono, desidratado e com feridas pelo corpo. Ele foi resgatado e encaminhado a um centro veterinário onde está recebendo os cuidados médicos necessários.

De acordo com a médica veterinária que está responsável pela cadela, o animal tem vivido em situação degradante há meses e apresenta cegueira devido aos machucados.

Diante dos fatos, a dona da cachorra foi presa em flagrante por ato de abuso a animais. Ela foi levada ao distrito policial, onde foi indiciada e posteriormente encaminhada à Cadeia de São Pedro do Turvo, permanecendo à disposição da Justiça.

Confira abaixo o laudo emitido pela médica veterinária Luara Maria Borda, CRMV - 35664-SP:

“O animal estava em decúbito lateral por não conseguir se manter em estação, com as mucosas pálidas, apatia, desidratação, petéquias, com infestação de pulgas e carrapatos, pelos extremamente embolados, sujos com fezes velhas e secas e molhado de urina. Na maior parte da face do animal (olhos, nariz) havia cavidade aberta, tomada por inúmeras larvas de insetos associada à muita secreção serosanguinolenta, extremamente fétida. pela ausência da parte da face, os olhos já estavam sem função (cegueira). o animal, ao ser consultado, vocalizava por dor, tinha sua pele inchada, inflamada e infeccionada na região facial. Apresentava salivação excessiva, respiração ofegante com a boca aberta. Na região genital também havia presença de fezes grudadas ao pelo. A aparência geral do animal era de um desleixo por meses, por descuido do proprietário. nas condições analisadas no momento da consulta e declaradas aqui, conferem que o animal sofre maus tratos há meses e que por muito tempo está nesta mesma condição degradante, sem cuidados básicos e mínimos para a manutenção da saúde. Foram prestados os primeiros atendimentos necessários ao animal e este está em observação para uma nova avaliação do caso e possibilidade de tratamento ou eutanásia”. (Jcnet)

Últimas Notícias : Pages : FM Integração