A Polícia Militar Rodoviária efetuou, em Itatinga, a apreensão de dois veículos de luxo que seriam objeto de possível furto que seriam deixados na fronteira do Brasil com a Bolívia, consequentemente, a prisão dos dois condutores. O fato foi registrado por volta das 23h30 desta quarta-feira, 2 de junho, na praça de pedágio da Rodovia Castello Branco (SP 280).

Em boletim, a PM informa que durante fiscalização de rotina, os policiais solicitaram para que dois condutores parassem seus veículos, sendo uma Mercedes-Benz C180 e um Chevrolet Tracker, que vinham em sequência, no sentido capital-interior. Ao efetuar a parada, ambos demonstraram nervosismo e, feita abordagem, nenhum objeto ou material considerado ilícito foi encontrado.

Os policiais indagaram ambos sobre as viagens e as motivações das mesmas. O condutor da Tracker disse alugou o veículo e que se dirigia até Corumbá, no Mato Grosso do Sul, para “curtir o final de semana prolongado”. Já o motorista da Mercedes ressaltou ser amigo do primeiro, e que o acompanhava na viagem.

Ao ser perguntado sobre o contrato de locação do veículo, o motorista da Tracker mostrou uma imagem do acordo, encaminhada por meio de WhatsApp. Reforçou que o carro não tinha sido alugado por ele, mas sim por um terceiro, que não soube dizer o nome, mas que era seu amigo. Afirmou que o locatário era quem aparecia no contrato.

Paralelamente, o motorista da Mercedes disse que ia até Presidente Prudente, para se encontrar com uma possível namorada. Ressaltou que o veículo também seria alugado, cujo contrato efetuado por seu sócio em uma empresa. Tinha em mãos o contrato impresso, mas não falou de imediato o nome do “sócio”, precisando fazer a leitura no documento. Ao ter a solicitação de documento efetuada, mostrou uma CNH no telefone celular, mas não a versão em aplicativo.

Ao fazer a checagem do documento, os policiais viram discrepâncias entre o apresentado pelo motorista e o cadastrado no sistema. Isso ficou mais evidente quando o homem confundiu-se ao informar outros dados como o RG, CPF e data de nascimento. Ao ser perguntado pelos policiais o porquê da confusão, o motorista da Mercedes confessou o nome verdadeiro e que os dados apresentados até o momento eram do irmão.

Os policiais então deram voz de prisão aos dois por ter sido constatada apropriação indébita, já que os mesmos levariam os carros alugados para a fronteira entre Brasil e Bolívia. Ambos disseram que receberiam R$ 1 mil pela viagem e para que deixassem os veículos em pontos determinados. Além dos veículos apreendidos, dois aparelhos celulares também  foram confiscados para o inquérito policial. (Notícias Botucatu)

Últimas Notícias : Pages : FM Integração