19 anos
a Primeira da cidade

19 anos
a Primeira da cidade

Mais-de-dez-sentenciados-prestaram-trabalho-voluntario-na-obra-sob-a-supervisao-de-agentes-de-seguranca-768x576

Detentos constroem cozinha de projeto social no interior de SP

Detentos que cumprem pena em regime semiaberto na Penitenciária I “Dr. Walter Faria Pereira de Queiróz” de Pirajuí atuaram na reforma e construção da nova cozinha do “Projeto Betânia – Partilhando Amor”, que serve refeições a pessoas em situação de vulnerabilidade social do município. A entidade ainda distribui cestas básicas a famílias carentes, frutos de doações.

Toda a estrutura para manter o trabalho solidário era mantida em uma casa improvisada. Mas, com o aumento do número de marmitas servidas, havia a necessidade de construir uma cozinha mais ampla, para melhor suprir as demandas.

Diante das dificuldades estruturais, foram realizadas campanhas, eventos e rifas para angariar recursos. A entidade recebeu doações tanto de materiais de construção quanto de dinheiro.

Faltava somente a mão de obra especializada. Foi então que a PI de Pirajuí entrou em cena: autorizados por juiz corregedor, mais de dez sentenciados prestaram trabalho voluntário no local, sob a supervisão de agentes de segurança.

Visibilidade

Os presos que atuaram na construção da cozinha possuem conhecimento na área da construção civil e tiveram direito à remição de pena – a cada três dias trabalhados é remido um dia da condenação. A ação gerou, ainda, visibilidade por parte da sociedade e de empresários que, a partir desta iniciativa, procuraram a direção do presídio com objetivo de contratação da mão de obra carcerária.

Ao todo, foram cinco meses de trabalho, desde o alicerce até a conclusão da obra, que ocorreu na semana passada. “Os presos ficaram gratos pela oportunidade. Eles puderam ajudar a população de alguma forma e isso acaba sendo recompensador”, destaca o diretor da Penitenciária I de Pirajuí, Paulo Rogério Prieto Martins dos Santos.

“Além disso, esta atividade também resgata valores, como respeito, dignidade e capacidade, e proporciona novas expectativas. Nas ações em que o foco principal é o resgate da cidadania, é possível garantir o retorno à sociedade, humanizando o cumprimento da pena e atribuindo a ela uma finalidade social”, conclui Santos.

 

‘Recomeçar’

“Este trabalho foi uma chance de resgatar a minha dignidade, de colaborar com a população e com nós mesmos, que erramos no passado e agora temos a chance de recomeçar. Ao cumprir a pena, poderemos voltar ao convívio da sociedade de cabeça erguida”, destaca um dos presos que atuou no projeto.

 

Projeto

O Projeto Betânia é uma iniciativa da servidora Cássia Regina da Cruz Silva dos Santos, que trabalha na Penitenciária Feminina “Sandra Aparecida Lario Vianna”, de Pirajuí. A ação começou com a distribuição de refeições em potes de manteiga. Hoje, a entidade distribui cerca de 400 marmitas por semana, além de promover campanhas pontuais de Dia das Crianças e Natal, por exemplo.

“O Sonho sai do papel e se torna realidade. A nova cozinha e revitalização da sede trouxe ótimo impacto para os bairros vizinhos beneficiados pelo Projeto Betânia, assim como melhores condições de realizarmos os almoços e distribuirmos em outros bairros carentes de Pirajuí”, destaca Cassia.

 

Texto e foto: SAP/Divulgação

plugins premium WordPress