18 anos
a Primeira da cidade

18 anos
a Primeira da cidade

delegacia botucatu

Jovem de 18 anos morre após disparo de arma em Botucatu

Uma jovem de 18 anos morreu na noite dessa quinta-feira (16), durante o final do feriado de Corpus Christi, em Botucatu.

Segundo as informações, um policial civil que é irmão da jovem – e que faz curso para assumir trabalho em delegacia – estava manuseando a arma quando houve um disparo acidental. A jovem chegou a ser socorrida, mas não resistiu.

Nas redes sociais muitos amigos e educadores que deram aula à Maria Vitória Carmelo comentaram o fato em suas redes sociais.

O velório da jovem será no Complexo Funerário e o sepultamento nesta sexta-feira (17), às 16h30 no Cemitério Portal das Cruzes, em Botucatu. Nota de falecimento.

Caso registrado pela polícia

Policiais militares encontravam-se em serviço, ocasião em que foram acionados via Copom 190 para atenderem ocorrência de disparo de arma de fogo envolvendo um policial civil no imóvel, localizado na Rua Seichi Konishi, no bairro Boa Vista.

Logo que chegaram no imóvel estava o morador no portão da residência que se identificou como policial civil. Ele, que tem 28 anos, declarou que estava fazendo manutenção em um armamento e precisava filmar para enviar as imagens ao instrutor da Academia da Policia Civil. Para isso, pediu ajuda de sua irmã para fazer a imagem.

Ao realizar o procedimento de retirada do ferrolho necessitou um disparo em seco e nesta ocasião houve um tiro que atingiu a irmã no peito. Ele acionou o SAMU que esteve no local e socorreu a jovem para o PS da Unesp.

A arma de fogo, tipo pistola, marca Glock é de propriedade do policial. A pistola foi localizada em uma gaveta do guarda-roupa embaixo das peças de roupa. A arma de fogo, tipo pistola 9mm montada, marca Glock em um coldre de polímero estava ao lado de carregador municiado com 17 munições e ao lado de capsula deflagrada.

O morador disse que era agente papiloscopista e que havia acabado de fazer o curso da Academia de Policia e fazendo estágio no IIRGD, aguardando uma designação para uma Unidade Policial.

Em seguida, forneceu a documentação da arma de fogo que estava regular.

O fato ocorreu na cozinha quando estava sentado de frente com sua irmã. Havia um orifício no azulejo da parede da cozinha. O policial disse que os familiares haviam limpado o sangue da irmã no chão.

Constou em boletim de ocorrência que a jovem foi atingida na região do pescoço e o projétil transfixou, por isso foi necessário passar por uma cirurgia, mas ela não resistiu e faleceu.

O policial foi conduzido ao plantão policial e o caso foi na mesma noite houve o comunidade da ocorrência o Delegado Seccional de Policia, Dr. Lourenço Talamonte Netto e o Delegado Corregedor, Mauro Sérgio Rodrigues dos Santos que estiveram na mesma delegacia.

Policial foi preso

Foi dada a voz de prisão em flagrante delito ao policial devido à morte de sua irmã, segundo consta, por entender a delegada, que o autuado, por ser policial e ter obrigação dos cuidados inerentes à função policial; por ter manuseado sua arma de fogo apontada na direção de sua irmã; por não ter verificado se havia munição na câmara de sua arma de fogo antes de acionar o gatilho da arma de fogo a fim de retirar o ferrolho e ainda por realizar tal procedimento após ingerir bebida alcoólica, conforme seu interrogatório e conforme o Laudo de IML (que confirma que Leonardo apresenta sinais indicativos que estava sob efeito de álcool etílico e/ou substâncias psicoativas) assumiu o risco de produzir o resultado, razão pela qual deliberou pela lavratura do Auto de Prisão em Flagrante Delito pela pratica do crime previsto no artigo 121, Caput do Código Penal.

Segundo ainda a polícia, pelo delito ser inafiançável nesta fase inquisitiva, o indiciado foi recolhido na cela da Delegacia de Investigações Gerais de Botucatu até ser apresentado na Audiência de Custódia.

Fonte: 14News.