18 anos
a Primeira da cidade

18 anos
a Primeira da cidade

Luto em Bauru: cidade ultrapassa mil mortes por Covid-19

Bauru (SP) confirmou mais 12 mortes nesta segunda-feira (21) e atingiu a triste marca de 1.009 mortes pela Covid-19 desde o início da pandemia.

Segundo a prefeitura, os óbitos foram registrados nos dias 17, 18, 19 e 20 de junho, e tiveram a investigação finalizada nesta segunda pela Vigilância Epidemiológica.

Além das mortes, foram confirmados 180 novos casos de Covid. Com isso, a cidade contabiliza 49.484 casos confirmados.

A superação da marca das mil mortes ocorre no mesmo mês em que outra barreira preocupante está para ser rompida: a de mais de 100 bauruenses que morreram apenas neste ano na fila de espera por um leito para tratamento da Covid.

 

Oficialmente, Bauru tem 99 mortes de pessoas que estavam na fila, mas com dados fechados até maio, quando houve 15 mortes. Antes, foram 22 mortes em abril, 47 em março, sete em fevereiro e oito em janeiro. Os dados oficiais de junho serão divulgados no fim do mês.

A primeira morte na cidade por Covid foi confirmada no dia 4 de abril do ano passado, quando a pandemia ainda estava começando no país.

O paciente era um idoso de 79 anos que apresentou todos os sintomas da doença no dia 24 de março. De acordo com o boletim, ele era portador de hipertensão arterial sistêmica e morreu no dia 1º de abril.

O acelerado aumento do número de casos e mortes em Bauru neste ano levanta um alerta sobre o agravamento da pandemia.

A cidade registrou 500 mortes pelo coronavírus em 22 de março deste ano, cerca de 11 meses após a confirmação do primeiro óbito no município. E em menos de 3 meses depois, já soma mais de mil vidas perdidas para a doença.

Diante do aumento alarmante dos casos e da marca trágica que a cidade alcançou no número de mortes, o G1 conversou com familiares e amigos de três vítimas da doença que eram moradores da cidade. Eles falaram sobre como vem lidando com o luto (veja abaixo).

 

Mortes confirmadas nesta segunda-feira

 

 

  • Mulher de 85 anos, que apresentou início dos sintomas em 16/06/2021 e o resultado positivo para a Covid foi divulgado no dia 16/06/2021. A paciente estava internada em um hospital particular da cidade e possuía hipertensão, pneumopatia crônica e sequela de AVC.
  • Homem de 74 anos, que apresentou início dos sintomas em 02/06/2021 e o resultado positivo foi divulgado no dia 06/06/2021. O paciente estava internado em um hospital particular da cidade e possuía diabetes e cardiopatia.
  • Mulher de 39 anos, que apresentou início dos sintomas em 06/06/2021 e o resultado positivo foi divulgado no dia 10/06/2021. A paciente estava internada em um hospital público da cidade e não possuía comorbidades.
  • Homem de 53 anos, que apresentou início dos sintomas em 04/06/2021 e o resultado positivo foi divulgado no dia 09/06/2021. O paciente estava internado em um hospital particular da cidade e possuía hipertensão, cardiopatia e obesidade.
  • Homem de 32 anos, que apresentou início dos sintomas em 05/06/2021 e o resultado positivo foi divulgado no dia 09/06/2021. O paciente estava internado em um hospital público da cidade e possuía hipertensão e obesidade.
  • Homem de 73 anos, que apresentou início dos sintomas em 07/06/2021 e o resultado positivo foi divulgado no dia 11/06/2021. O paciente estava internado em um hospital público da cidade e não possuía comorbidades.
  • Mulher de 52 anos, que apresentou início dos sintomas em 30/05/2021 e o resultado positivo foi divulgado no dia 08/06/2021. A paciente estava internada em um hospital público da cidade e possuía hipertensão, diabetes e doença renal crônica.
  • Mulher de 69 anos, que apresentou início dos sintomas em 31/05/2021 e o resultado positivo foi divulgado no dia 07/06/2021. A paciente estava internada em um hospital público da cidade e possuía hipertensão, diabetes, doença renal crônica e doença neurológica crônica.
  • Mulher de 56 anos, que apresentou início dos sintomas em 04/06/2021 e o resultado positivo foi divulgado no dia 10/06/2021. A paciente estava internada em um hospital público da cidade e possuía diabetes, cardiopatia e câncer.
  • Mulher de 80 anos, que apresentou início dos sintomas em 08/06/2021 e o resultado positivo foi divulgado no dia 16/06/2021. A paciente estava internado em um hospital particular da cidade e possuía hipertensão, diabetes e cardiopatia.
  • Mulher de 56 anos, que apresentou início dos sintomas em 09/06/2021 e o resultado positivo foi divulgado no dia 10/06/2021. A paciente estava internada em um serviço público da cidade e possuía hipertensão e obesidade.
  • Homem de 43 anos, que apresentou início dos sintomas em 29/05/2021 e o resultado positivo foi divulgado no dia 17/06/2021. O paciente estava internado em um hospital particular da cidade e possuía cardiopatia.
  • Dayane Guimarães, de 24 anos, era esposa de Mário Henrique da Luz do Prado, advogado de 33 anos, que morreu no dia 18 de maio de Covid-19. Mário era membro do Conselho da Comunidade Negra e presidente da Comissão da Igualdade Racial da OAB de Bauru.

    O casal tinha se casado havia apenas dois anos, mas estava junto havia seis. Segundo Dayane, ela e o marido contraíram a doença na mesma semana e foram internados juntos no dia 6 de maio no Hospital Estadual.

    Dayane recebeu alta no dia 9 de maio, mas Mário continuou internado e foi intubado no mesmo dia.

    “Nós dois fomos internados juntos no dia 6 de maio no Hospital Estadual. A minha saturação já estava subindo e fiquei até o dia 9. Ele teve que continuar internado porque vomitava muito, não comia, tinha muita febre e a febre não cessava nem com os remédios. Eu sai 12h e às 17h ele foi intubado. Foi no mesmo dia que eu tive alta.”

    A infecção do casal pela doença aconteceu depois que o sogro, Mario Correa do Prado, de 68 anos, morreu no dia 22 de abril também por Covid-19. Dayane conta que toda a família foi contaminada, mas apenas Mario e o pai dele não resistiram. O sogro, inclusive, morreu no dia que tomaria a segunda dose da vacina.

     

    “Eu e ele pegamos Covid depois que o pai dele morreu no dia 22 de abril de Covid. No fim de semana já começamos ficar mal, porque estávamos indo ao hospital, cuidando do enterro. Nós e toda a família pegamos depois. Eu testei positivo no dia 30 de abril e fiquei separada dele, e um ou dois dias depois ele testou positivo. O pai dele tinha primeira dose só e no dia que ele faleceu iria tomar a segunda”

    Mas desde o início, o quadro do marido já apresentava mais gravidade e, após a internação dos dois, ele continuou apresentando piora e morreu uma semana depois da alta da esposa.

    “Ele começou a ficar muito fraco. No fundo, por mais que eu não queria acreditar, sabia que ele seria intubado. Eu pedi pra me deixarem falar com ele no dia da minha alta e deixaram. Ficamos conversando lá. Ele me pediu para avisar que amava a mãe e a irmã e falou que me amava.

    “Ele me disse ‘fica firme, logo eu saio’. Eu dei um pouco de água e comida, mas ele estava muito fraco. É muito doloroso. Eu falo que Deus me deu a oportunidade de me despedir dele”, relembra Dayane emocionada.

    Tentativa de conter o avanço da doença

    Além de seguir as medidas restritivas estabelecidas pelo Plano São Paulo, a prefeitura de Bauru publicou um decreto na última quarta-feira (16) para conter o aumento no número de pessoas infectadas.

    As novas regras começaram a valer no dia 18 e seguem até o dia 30 de junho. Entre as medidas, está a limitação de ocupação dos estabelecimentos em até 30% da capacidade e a limitação da entrada de apenas uma pessoa por família nos supermercados.

    Além da proibição da venda de bebidas alcoólicas das 19h às 6h em todos os dias da semana. Aos finais de semana, a venda fica proibida em todos os horários, a partir das 19h de sexta-feira até as 6h de segunda-feira.

    No entanto, neste fim de semana, já foram registradas aglomerações em que as pessoas descumpriram as regras de uso de máscara e distanciamento social essenciais para conter o número de contaminações.

    Fonte: G1 bauru