20 anos

a primeira da cidade

Captura de tela 2024-05-14 094902

Bloqueio atmosférico explica chuva no RS e onda de calor em SP

Um bloqueio atmosférico tem causado o contraste entre os estados do Rio Grande do Sul, bastante chuvoso, e o de São Paulo, onde a capital está sem chuva desde o dia 17 de abril. A previsão é que a capital paulista se reencontre com a chuva somente nesta terça-feira (14), e a temperatura cairá, com mínimas entre 17ºC e 18ºC e máximas de 22ºC a 24ºC. No entanto, o calor deve voltar a partir de quinta. Na sexta-feira (17), em São Paulo, os termômetros vão oscilar entre os 20ºC e os 30ºC.

Áreas de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, além do norte do Paraná, convivem com ondas de calor neste outono. São Paulo, por exemplo, registrou em maio temperaturas 5°C acima da média por ao menos cinco dias seguidos.

Já no estado gaúcho, a tendência, de acordo com meteorologistas, é que o estado gaúcho conviva com mais dias de chuvas, pelo menos, nas três próximas semanas e baixas temperaturas.

“Há uma grande massa de ar seco e quente predominando sobre o interior do país e formou-se um bloqueio atmosférico. Então, as frentes frias [oriundas da Antártida] não conseguem passar pelo Rio Grande do Sul”, afirmou o meteorologista Michael Pantera, do CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas) da Prefeitura de São Paulo. “Chegam até lá, causam chuvas e saem pelo oceano. Então, não conseguem mudar o tempo, porque não conseguem passar pelo Sudeste e Centro-Oeste.”

A chuva prevista para esta terça, de acordo com ele, será fraca em decorrência deste bloqueio atmosférico. “A frente fria não vai conseguir chegar com força em São Paulo, chegará enfraquecida. Vamos ter mais rajadas de vento e nebulosidades, além de esfriar um pouco. Mas chuva, mesmo, só de forma isolada”, diz Pantera.

Segundo Glauco Freitas, meteorologista do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), o bloqueio atmosférico oscila nos estados de Santa Catarina e Paraná, mas prevalece sobre o Rio Grande do Sul. Ele também indica que a umidade que veio da Amazônia, através da Cordilheira dos Andes, aumentou ainda mais a concentração de chuvas no Sul.

“O bloqueio mantém a massa de ar no Sudeste, e a massa de ar frio pelo Sul do país”, afirma Freitas. “Há uma previsão para que o Sul tenha, em média, três a quatro dias de chuva por semana pelos próximos 20, 30 dias. O normal na região é de seis dias secos.”

De acordo com informativo do Inmet, esta semana terá pancadas de chuvas isoladas nas áreas de Santa Catarina e Paraná. “Porém, a partir do dia 17, a passagem de um novo sistema frontal irá provocar volumes de chuvas que podem vir acompanhadas de trovoadas e rajadas de vento na região, especialmente em Santa Catarina e Rio Grande do Sul”, prevê o instituto.

Para a semana entre 21 a 29 de maio, o Inmet espera que as pancadas de chuvas que podem superar 90 mm no centro-leste do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, além do sul do Paraná. Enquanto o Sudeste e Centro Oeste terão tempo quente e seco, exceto em áreas de Mato Grosso, São Paulo e Espírito Santo, onde deve ocorrer chuvas rápidas e passageiras, entre os dias 13 e 20 de maio.

Entre 21 a 29, o Inmet prevê para o Centro-Oeste e Sudeste tempo seco e quente, além de chances de chuvas rápidas e passageiras com volumes inferiores a 80 mm.

Fonte: Sampi / JCNET (Foto: Lauro Alves/Secon)

plugins premium WordPress